Ter a casa própria é o desejo de muitas pessoas que – por algum motivo – precisam do seu próprio cantinho para morar. Um dos caminhos mais fáceis para a realização desse sonho é fazer um financiamento imobiliário; indicado para aqueles que ainda não possuem o valor total do imóvel – o que é bem comum.

Antes de entrar “de cabeça” nesse negócio, você precisa fazer um planejamento financeiro, já que a dívida é alta e pode durar décadas. Apesar do grande investimento, o financiamento facilita o pagamento do imóvel e permite que você organize melhor os gastos, evitando futuros endividamentos.

Mas, afinal, o que fazer para conseguir taxas de juros menores no financiamento imobiliário?

Primeiro você deve pesquisar e comparar os juros do financiamento em diversos bancos. Essa tarefa é a mais importante, visto que dependendo da opção escolhida, você pode pagar menos no fim da dívida.

Separamos para você as taxas de juros dos principais bancos do Brasil.

Posição Banco Juros ao ano
1 Santander 9,49%
2 Caixa 10,48% + TR
3 Bradesco 10,50%
4 Itaú 10,90%
5 Banco do Brasil 11,48%

Fonte: site Konkero

Programa Minha Casa Minha Vida: As taxas de juros do Programa Minha Casa Minha Vida estão abaixo do valor de mercado, que costuma variar entre 10% e 11%. As taxas são cobradas de acordo com a sua renda familiar. Confira:

  • Até R$ 2.350,00 = juros de aproximadamente 5%
  • De R$ 3.350,01 a R$ 2.700,00 = juros de aproximadamente 6%
  • De R$ 2.701,01 a R$ 3.600,00 = juros de aproximadamente 7%
  • De R$ 3.600,01 a R$ 6.500,00 = juros de aproximadamente 8,16%
  • De R$ 6.500,01 a R$ 9.000,00 = juros de aproximadamente 9,16%

Amortização da dívida no financiamento imobiliário

Se você já solicitou o financiamento, amortizar as parcelas é uma ótima opção se o seu objetivo for reduzir o valor dos juros. Quando decidimos amortizar ou liquidar empréstimos, recebemos um desconto sobre os juros referente ao prazo que deixará de existir na operação. Ou seja, você não paga juros pelo tempo que não utilizar o dinheiro.

Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Correspondentes de Empréstimo e Financiamento Imobiliário (Abracefi), o sistema de amortização mais usado é a tabela SAC (Sistema de Amortização Constante).

Valor maior de entrada

Quanto mais você conseguir guardar para dar de entrada na compra, melhor! Se a quantia for alta, é possível negociar com o banco a redução dos juros das parcelas. Geralmente dá certo!

Além disso, é essencial que você compare o Custo Efetivo Total (CET) de cada banco. Nele é possível avaliar as taxas e os impostos que você pagará pelo financiamento.