A compra do imóvel próprio é um momento de entusiasmo, mas que exige muita cautela. Em decorrência da crise econômica que o país enfrenta, muitas pessoas sentem-se inseguras e preferem esperar a estabilização do cenário econômico para evitar prejuízos financeiros.

Sabemos que 2016 foi um ano cheio de incertezas no mercado imobiliário, mas 2017 veio para mudar essa realidade e melhorar as expectativas.

Já parou para pensar que a crise pode não ser um problema e sim uma uma ótima oportunidade para quem pretende adquirir a casa/apartamento dos sonhos? Temos uma boa notícia: não precisa mais esperar, esse é o momento certo para investir!

Crise: por que é uma boa hora para comprar imóveis?

No ano passado, a oscilação da economia brasileira fez com que as construtoras, incorporadoras e imobiliárias elevassem o preço dos imóveis, a fim de manterem-se estáveis e de não serem afetadas diretamente pela crise. Essa atitude resultou na queda de vendas, já que os índices de desemprego subiram drasticamente e muitas pessoas ficaram sem capital para investir ou comprar unidades habitacionais.

Para reverter a situação, os valores dos imóveis se ajustaram e estão estagnados, tornando as propriedades mais atrativas.

Desde o início deste ano, a economia brasileira dá sinais de recuperação e a previsão para 2018 é que continue crescendo. O reaquecimento do mercado pode trazer aumento nos valores do setor, sendo assim, esse é o momento ideal para adquirir o seu imóvel com preço justo.

Queda da inflação

A inflação já é a segunda menor da história e as expectativas para o próximo ano é de que ela continue caindo. De acordo com o boletim Focus, relatório semanal com as previsões de cerca de 100 analistas financeiros sobre vários indicadores da economia brasileira, divulgado pelo Banco Central, a inflação deste ano deve ficar em 2,98%, a estimativa era de que fechasse em 2,95%. Apesar do aumento, os números estão abaixo da meta central para a inflação em 2017, de 4,5%.

A inflação prevista para este ano também se mantém abaixo do piso de 3% do sistema brasileiro de metas. Se isso realmente acontecer será a primeira vez, que a inflação ficará abaixo do piso do regime de metas criado em 1999.

Taxa de juros reduzida

A taxa básica de juros (Selic) atualmente está fixada em 8,25% ao ano e analistas continuam estimulando uma redução de juros. A expectativa é encerrar 2017 em 7% ao ano.

Se a meta for alcançada será o menor nível já registrado.

Para 2018 as previsões são as mesmas.

PIB

O Produto Interno Bruto está estável e dentro da estimativa de crescimento, em 0,70%.

Em 2018 os especialistas especulam um aumento de 2,38% para 2,43%. A segunda alta consecutiva na previsão.

Está esperando o que para se planejar e adquirir o seu próprio imóvel? Agora que o cenário econômico apresenta sinais de melhora você não precisa ter medo de investir.